Acervo Histórico da Discoteca Oneyda Alvarenga

Com o apoio financeiro do Programa Iberarchivos e AECID, o conjunto documental proveniente da Missão de Pesquisas Folclóricas, contemplado pelo Programa Memória do Mundo da UNESCO em 2009, passará por processos de conservação e tratamento em 2020.

O acervo, atualmente sediado no Centro Cultural São Paulo, contém coleções de cunhos etnográfico e histórico da Discoteca Oneyda Alvarenga, antiga Discoteca Pública Municipal de São Paulo. Fundada em 1935 pelo então Diretor do Departamento de Cultura, Mário de Andrade, foi dirigida por Oneyda Alvarenga desde sua fundação até o final da década de 60 do século XX.

O projeto visa a descrição e acondicionamento de cerca de 10 metros lineares de documentação em papel (1935 e 1982). Além da documentação arquivística em papel, está previsto o restauro e transcodificação de aproximadamente 100 cilindros de cera que compõe parte do arquivo fonográfico do acervo, entre os quais se encontram provavelmente os raríssimos registros musicais dos indígenas Macuxi, feitos pelo antropólogo alemão Koch Grumberg.

A Discoteca empreendeu importantes trabalhos relacionados às primeiras políticas de preservação do patrimônio cultural brasileiro, colhendo e registrando músicas, danças e outras manifestações culturais de inúmeras localidades do Brasil por meio de discos, fotografias e filmes. O trabalho de maior fôlego ficou conhecido como Missão de Pesquisas Folclóricas (1938), ocasião na qual a equipe formada por Luís Saia (arquiteto e chefe da Missão), Martim Braunwieser (maestro),  Benedicto Pacheco (técnico de som) e Antônio Ladeira (auxiliar) registrou manifestações populares e religiosas das regiões dos estados de Pernambuco, Paraíba, Ceará, Piauí, Maranhão e Pará. 

Este projeto possui o apoio financeiro dos países integrantes do Programa Iberarquivos e a Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID) no projeto "Tratamento e conservação do Fundo Discoteca Oneyda Alvarenga: acondicionamento, descrição e restauro da documentação textual e fonográfica (cilindros de cera)"

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *