Centro Cultural São Paulo

 

Dia 13 de maio de 2018, a AACCSP faz 20 anos.

A Associação Amigos do Centro Cultural São Paulo completa 20 anos de contribuição à cultura, construindo pontes capazes de promover relações positivas entre o Centro Cultural São Paulo e o seu público.

São duas décadas de funcionamento estabelecendo relações construtivas, transformadoras e ao mesmo tempo diversas, proporcionando a qualificação e promoção de um dos mais importantes equipamentos da cidade de São Paulo. São ações que contribuem para a preservação e difusão de acervos histórico-culturais, além da viabilização de projetos educativos, comunicativos, artísticos, socioculturais e demais áreas de atuação do CCSP. Todas essas ações são possíveis graças à viabilização de projetos através da captação de recursos financeiros, patrocínios e parcerias.

São duas décadas onde a AACCSP pôde contar com a experiência de seus diretores, conselheiros, funcionários e seus mais de 80 fundadores que contribuem para que a Associação se tornasse o que é hoje.

Desde a sua fundação, a Associação desenvolveu inúmeros projetos com destaque para a preservação e difusão do patrimônio histórico-cultural da cidade, como “Camargo Guarnieri – 3 Concertos para Violino”, que destaca a importância do compositor Camargo Guarnieri (1907-1993) para a música clássica brasileira ou a “Missão de Pesquisas Folclóricas – Cadernetas de Campo”, um DVD que apresenta 21 cadernetas digitalizadas da Missão idealizada por Mário de Andrade quando esteve à frente do Departamento de Cultura de São Paulo, entre 1935 e 1938, com o objetivo de registrar manifestações folclóricas nos estados do Norte e Nordeste do Brasil.


Você já conhece o Centro Cultural São Paulo?

 

Programação

 

dia 22/5 - DEBATE

 

20 anos antes e depois: a cultura numa instituição como a nossa
Uma conversa com os amigos do Centro Cultural São Paulo

Convidados: Carlos Augusto Calil (cineasta, ex-diretor do CCSP e ex-secretário de Cultura de São Paulo), Ana Helena Curti (produtora executiva), Ricardo Ohtake (arquiteto e presidente do Instituto Tomie Ohtake), Cacá Machado (músico e historiador), Ugo Giorgetti (cineasta) e Martin Grossmann (ex-diretor do CCSP, professor titular da ECA-USP e coordenador acadêmico da Cátedra Olavo Setubal) – Mediação: Cadão Volpato (diretor do CCSP). Conheça os convidados.

TERÇA, ÀS 19H - LIVRE - SALA JARDEL FILHO (321 lugares)

grátis – inscrições: de 1º a 11/5, por meio de preenchimento de formulário – a confirmação de participação será realizada por e-mail ou telefone até 16/5

INSCRIÇÕES ENCERRADAS

 

de 7/8 a 28/8 - MÚSICA

 

Concerto – Grupo Aulustrio



O grupo de música de câmara Aulustrio, formado pelos irmãos Fabio, Mauro e Paulo Brucoli, apresenta o repertório de Glauco Velásquez (1884-1914) agregado a obras e compositores contextualizados no propósito da afirmação e da divulgação da produção musical para trio violino, violoncelo e piano. Glauco Velásquez – 4 Trios foi um projeto realizado em 2012 pela AACCSP, sendo o sétimo projeto da série de música brasileira da Discoteca Oneyda Alvarenga – CCSP, que contou com o patrocínio da PETROBRAS.

 

dia 07/08 - terça

– Ferenc Liszt: Tristia- La Vallée d’Obermann (1ª versão original para trio)
– Sergei Rachmaninoff: Trio Elegíaco” nº 1 em Sol menor
– Glauco Velásquez: Trio nº 1

dia 17/08 - sexta

– Glauco Velásquez: Trio nº 2
– Osvaldo Lacerda: Três Danças Brasileiras Antigas para violino e piano
– Francisco Mignone: Modinha para Violoncelo e Piano e Canção Sertaneja para Violino, Violoncelo e Piano
– Osvaldo Lacerda: Trio em Dois Movimentos

dia 21/08 - terça

– Amaral Vieira: Pianoforte Terzetto op.7
– Amaral Vieira: Elegia e Burlesca para Violoncelo e Piano
– Glauco Velásquez: Trio nº 3

dia 28/08 - terça

– Glauco Velásquez: Trio nº 4
– Heitor Villa-Lobos: Trio nº 2

 

às 12h – 60min – 8 anos – Sala Adoniran Barbosa
grátis – sem necessidade de retirada de ingressos
+A cada concerto, as 50 primeiras pessoas que chegarem para a apresentação receberão o DVD Glauco Velásquez – 4 Trios.

 

 
EXPOSIÇÕES - De 22/05 a 17/06

 

Durante o período, o público poderá acompanhar a exposição comemorativa na Sala de Vidro. Esta exposição reúne parte da memória da Associação, remontando de forma cronológica suas ações e projetos, imagens, produtos culturais e documentos importantes. Trará ainda um vídeo comemorativo que conta a história de vinte anos na voz de ilustres personagens que contribuíram para que a Associação se tornasse o que é hoje.

 

 

 

 

 

Conheça os convidados
Adriana Levisky Prof.ª Carolina Tonetti Prof.ª Dr.ª Paula Santoro

Cadão Volpato

Cadão Volpato é jornalista, músico, escritor e apresentador. Possui formação em Jornalismo na ECA (Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo) e Ciências Sociais na Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras da USP. Como Jornalista, trabalhou nos mais importantes jornais e revistas do Brasil, como: O Estado de S. Paulo; Folha de S. Paulo; Revista Veja; Revista Época; Revista Trip, Portal IG, entre outros. Como apresentador de televisão, comandou o programa Metrópolis, da TV Cultura e o programa Trampolim, da STV. Como músico, gravou seis discos com as bandas Fellini (1994-1990) e Funziona Senza Vapore (1991), além de um disco solo (2005). Como escritor, tem quatro livros de ficção publicados pela editora Iluminuras (1995-2009). Lançou ainda os livros infanto-juvenis Meu Filho, Meu Besouro (2011) e Cavalos da Chuva (2014), bem como o romance Pessoas que Passam pelos Sonhos (2013), todos pela editora Cosac Naify. Em 2017 lançou o volume de contos Os Discos do Crepúsculo (Numa), ilustrado pelo autor. Atualmente, é diretor geral do Centro Cultural São Paulo e Conselheiro da AACCSP.

Martin Grossmann

Martin Grossmann é professor titular da ECA-USP, foi diretor do IEA-USP de 2012 a 2016, e também diretor geral do Centro Cultural São Paulo, entre 2006 a 2010. Ocupou a vice-diretoria do Museu de Arte Contemporânea (MAC) da USP de 1998 a 2002. Graduado em artes plásticas pela Fundação Armando Álvares Penteado (Faap), Grossmann fez o mestrado na ECA-USP (1987) e o PhD na University of Liverpool (1993), Reino Unido. É pesquisador associado do Interdisciplinary Laboratory Image Knowledge Gestaltung da Humboldt Universität zu Berlin (2016-) e foi Distinguished Visiting Fellow do Instituto de Estudos Avançados da University of Birmingham (2015-2016). Atualmente é Coordenador Acadêmico da Cátedra Olavo Setubal de Arte e Cultura do Instituto de Estudos Avançados/IEA-USP. Também foi o idealizador e coordenador da primeira interface/portal/site do USPonline [www.usp.br] (1995-1998) e desde 2016 atua como Conselheiro do Conselho Estadual de Educação, Secretaria de Estado da Educação de São Paulo. As pesquisas acadêmicas desenvolvidas desde o mestrado problematizam a transição da Cultura Material para uma Cultura na virtualidade; a relação entre Arte Contemporânea, seus agentes e as Instituições; os processos de mediação cultural e artística; bem como o desenvolvimento e manutenção de Sistemas de Informação para a Arte e a Cultura. É Conselheiro da Associação Amigos do Centro Cultural São Paulo.

Ana Helena Curti

Ana Helena Curti possui graduação em Licenciatura em Educação Artística na Modalidade de 2º Grau (duração plena) pela Faculdade de Artes Plásticas (1981) da Fundação Armando Álvares Penteado e pós-graduação latu sensu - especialização em Gestão Cultural, Desenvolvimento e Mercado pelo Centro Universitário SENAC (2013). É docente da Fundação Armando Álvares Penteado nos cursos de Artes e Sequencial de Produção Cultural. É diretora da empresa Arte3 Assessoria Produção e Marketing Cultural especializada na criação, desenvolvimento, organização e produção de projetos culturais. Tem experiência nas áreas de produção executiva, administração e gestão de projetos culturais com ênfase em museus, exposições e leis de incentivo à cultura. Foi Presidente do Conselho de Administração da Instituição A CASA Museu Objeto – OS, responsável pela gestão do Museu da Casa Brasileira (2006-2004). Integra o Comitê de Programação do Museu da Casa Brasileira da Secretaria de Estado da Cultura - SP. É conselheira do Instituto Brasileiro de Gestão Cultural. É presidente do Conselho de Administração do Centro Cultural Brasil Turquia. É Co-coordenadora do Curso de Art Business da Escola São Paulo, e Vice-Presidente da Associação Amigos do Centro Cultural São Paulo.

     
Profª Ana Paula Khoury Cazu Zegers Profo. Pedro Vada

Ricardo Ohtake

Ricardo Ohtake Formado pela Faculdade de Arquitetura e Urbanismo da Universidade de São Paulo, Ricardo Ohtake tem escritório de design gráfico, abrangendo identidade visual, atividades culturais e principalmente projetos editoriais e gráficos de livros de arte. Foi professor de diversas faculdades de arquitetura, de comunicações e de artes plásticas entre 1968 e 1983. Ocupou cargos na administração pública, dentre os quais: primeiro Diretor do Centro Cultural São Paulo, Diretor do Museu da Imagem e do Som de São Paulo, Diretor da Cinemateca Brasileira, foi Secretário da Cultura do Estado de São Paulo, e Secretário Municipal do Verde e do Meio Ambiente. Atualmente é presidente do Instituto Tomie Ohtake e da ANEC Associação Nacional de Entidades Culturais, e ocupou a Cátedra “Olavo Setubal de Arte, Cultura e Ciência”, do Instituto de Estudos Avançados da USP em 2017.

Cacá Machado

Cacá Machado, compositor e historiador, é professor de história da música do Instituto de artes da Unicamp. Foi pesquisador visitante da Columbia University (NY, EUA, 2014), professor visitante do dep. de história da USP (2012/2014), diretor do Auditório Ibirapuera (2011) e diretor do Centro de Música da Funarte/MinC (2008/2010). É autor dos livros O enigma do homem célebre: ambição e vocação de Ernesto Nazareth (São Paulo, Instituto Moreira Salles, 2007), Tom Jobim (Coleção Folha Explica, Publifolha, 2008), Todo Nazareth – obras completas (Água-Forte, 2001), entre outros artigos e ensaios, e do CD/LP  eslavosamba (YB Music, 2013).

Ugo Giorgetti

Ugo Giorgetti é diretor e roteirista de cinema. Iniciou a carreira dirigindo filmes publicitários para a televisão. Em 1973, dirigiu o curta Campos Elísios (1973). Dois anos depois, passou ao média-metragem, dirigindo Prédio Martinele. Seu primeiro longa foi Quebrando a cara (1977), um documentário sobre o pugilista Eder Jofre. Em seguida começou a fazer filmes de ficção. O primeiro deles foi Jogo duro (1985), e em seguida Festa (1989), melhor filme do Festival de Gramado. Em 1994, saiu a comédia Sábado, e em 1997 o clássico Boleiros, sobre futebol. Depois veio O príncipe, em 2002. Seu filme mais recente é Boleiros 2 – Vencedores e vencidos (2006). Paralela à sua obra de ficção, continua a exercer a atividade de documentarista, seja como produtor, a exemplo de À margem da imagem (2002) de Evaldo Mocarzel, ou como realizador, a exemplo de Uma outra cidade – Poesia e vida em São Paulo nos anos 60 (2001). Em 2004, a Coleção Aplauso Cinema Brasil, da Imprensa Oficial do Estado de São Paulo, publicou o volume "Ugo Giorgetti - o sonho intacto", de Rosane Pavam. Desde 2006, Giorgetti assina uma coluna semanal sobre futebol nas edições de domingo do jornal
O Estado de São Paulo.

     
  Maria Andrea Tápia  


Carlos Augusto Calil

 

Carlos Augusto Calil é cineasta e professor do Departamento de Cinema, Rádio e Televisão da ECA/USP desde 1987, onde ministra as disciplinas História do Audiovisual Brasileiro e Legislação e Mercado Audiovisual. É realizador de documentários em filme e vídeo, entre eles, Acaba de Chegar ao Brasil o Bello Poeta Francez Blaise Cendrars (1972); Os Idos de 22 (1973); Simiterio do Adão e Eva (1975), que recebeu prêmios no Festival de Brasília; O Que Eu Estou Vendo (1979), premiado no Festival Jornal do Brasil; Inventando Moda (1996); A Metrópole e o Balé (1998) e outros. É autor de mais de 130 artigos, resenhas e ensaios e editor/organizador de mais de 30 publicações sobre cinema, iconografia, teatro, história e literatura, dedicados a autores como Blaise Cendrars, Alexandre Eulalio, Paulo Emílio Sales Gomes, Glauber Rocha, Leon Hirszman, Joaquim Pedro de Andrade, Federico Fellini, Paulo Prado, Vinicius de Moraes, David E. Neves e Mário de Andrade. Foi designado curador da obra cinematográfica de Glauber Rocha pelo próprio cineasta, e da de Leon Hirszman, pelos seus herdeiros. Em 2000, coordenou a implantação do Curso Superior do Audiovisual, que fundiu as habilitações em Cinema e Vídeo e Rádio e Televisão. Foi vice-presidente da Comissão de Cinema da Secretaria de Estado da Cultura (1977-79); diretor e presidente da Embrafilme - Empresa Brasileira de Filmes S.A (1979-86), onde coordenou o programa Cinema e memória e foi responsável pelo estabelecimento do Acordo de Cooperação Técnica bilateral com o National Film Board do Canadá, que deu origem em 1985 ao Centro Técnico Audiovisual. Enquanto Diretor da Cinemateca Brasileira (1975-79; 1987-92), dedicou-se, no primeiro mandato, à reativação da instituição e à criação, em 1976, de um de laboratório de restauração de filmes antigos. Em 1984, conduziu o processo de incorporação da Cinemateca pelo Governo Federal. No segundo mandato, criou em 1989 a Sala Cinemateca e, em 1991, iniciou a transferência da instituição para o antigo Matadouro Municipal, imóvel cedido pela Prefeitura de São Paulo. De 2001 a 2004, dirigiu o Centro Cultural São Paulo, onde realizou reformas físicas, como a construção da passarela Eurico Prado Lopes, que liga o edifício à estação Vergueiro do Metrô, e o Laboratório de Restauro, além de investimentos em restauração e divulgação dos acervos da Discoteca Oneyda Alvarenga, Pinacoteca Municipal e Arquivo Multimeios. Entre 2005 e 2012, exerceu o cargo de Secretário Municipal de Cultura de São Paulo, cuja gestão concentrou esforços na valorização dos equipamentos públicos, sem perder de vista o fomento às artes. Entre as reformas e as novas construções realizadas destacam-se: a do Teatro Municipal, que reconquistou seu antigo esplendor interno em vermelho; a Biblioteca Mário de Andrade, que se tornou transparente para o passeio público na Rua da Consolação, a do edifício do IPESP, adaptado para abrigar a Hemeroteca da Biblioteca Mário de Andrade; a da Casa número 1, transformada em Casa da Imagem de São Paulo; da Chácara Lane, que possibilitou a criação do Gabinete do Desenho; do Solar da Marquesa, único exemplar do século 18 no centro de São Paulo, sede do Museu da Cidade; do Pavilhão Armando Arruda Pereira (ex-Prodam), no Ibirapuera, transformado no Pavilhão das Culturas Brasileiras; entre outros. No âmbito das bibliotecas, além das 42 reformas realizadas, cabe salientar a informatização geral do acervo de 2,7 milhões de itens, constituindo um catálogo único, cujo acesso pode ser feito em qualquer biblioteca pública do Sistema Municipal de Bibliotecas. Em 2015, foi curador da exposição “Morada do coração perdido”, que musealizou a casa de Mário de Andrade, na Barra Funda. E organizou o livro me esqueci completamente de mim, sou um departamento de cultura (coedição Imprensa Oficial / Secretaria Municipal de Cultura), que reúne a documentação do Departamento de Cultura, no período de 1935 a 38. Em 2018, compartilhou a curadoria da mostra “Véio – a invenção da madeira”, no Itaú Cultural.

 
 
 
Memórias AACCSP

  • Navegar é Preciso: Portugal/Brasil/África (1998), registro de uma das exposições do projeto: A Caravela. O projeto consistia na realização de importante mostra da cultura portuguesa em comemoração aos 500 Anos do Descobrimento do Brasil. A proposta foi realizar uma retrospectiva das grandes navegações portuguesas que antecederam a descoberta do Brasil. Este grande evento, que contou com a participação de artistas e intelectuais brasileiros, portugueses e africanos, ofereceu à população uma programação completa na área das artes plásticas, teatro, dança, música popular e erudita, cinema, literatura, entre outras.
  • Esplendor de Visconti (2002), catálogo. Foto: João Silva Consistiu na realização de uma programação sobre a obra cinematográfica completa de Luchino Visconti, que resultou também na confecção de um catálogo da retrospectiva e um breve conjunto de textos escritos no Brasil, em épocas diferentes. O projeto foi patrocinado pela empresa Serasa, e teve o apoio do CCSP, Instituto Italiano di Cultura São Paulo, NICE – New Italian Cinema Events, Cineteca Nazionale – Roma e Cinusp Paulo Emílio.
  • Pinacoteca Municipal (2004), obras distribuídas no gabinete de papel, mobiliário expositivo. Foto: João Mussolin Com o patrocínio da VITAE – Apoio à Cultura, Educação e Promoção Social, foi realizada a restauração de 10 obras em estado crítico e apoio em material para conservação preventiva de cerca de 120 obras, pertencentes à Pinacoteca Municipal, Coleção de Arte da Cidade. Houve ainda a revitalização de um espaço para receber as obras, chamado Gabinete de Papel. Em 2005, com apoio do Banco Safra, foi confeccionado o catálogo das obras da coleção.
  • Preservação e Informatização do Acervo da Discoteca Oneyda Alvarenga do Centro Cultural São Paulo (2003-2004), discos 78 RPM pertencentes à Discoteca Oneyda Alvarenga e digitalizados através do projeto. Foto: Sossô Parma. Com patrocínio da Petrobras, foi possível disponibilizar ao público um dos grandes acervos da cidade: cerca de 15 mil discos e 10 mil partituras preservadas por Mário de Andrade, enquanto esteve a frente do Departamento de Cultura de São Paulo.
  • Construção da rampa de acesso à estação Vergueiro do Metrô (2004). Foto: Carlos Rennó. Em comemoração aos 22 anos do CCSP, e com patrocínio da Petrobras, foram realizadas obras de construção da rampa de acesso, que veio a se chamar Jardim Eurico Lopes, que contribuíram com a revitalização arquitetônica do prédio e intensificação do público, com crescimento considerável de 58% após a obra, que fazia parte do projeto original do CCSP.
  • Música Contemporânea Brasileira – MCB (2005), conjunto dos “cadernos coloridos” que destacam as partituras editadas de cinco autores da música contemporânea brasileira: Almeida Prado, Edino Krieger, Edmundo Villani-Cortês, Gilberto Mendes e Rodolfo Coelho. Com patrocínio da Petrobras, os cadernos” trazem além das partituras e do cd, o catálogo dos autores e textos inéditos. Foto: Sossô Parma
  • Construção de Reserva Técnica Unificada no Centro Cultural São Paulo (2004-2005). Foto: Carlos Rennó Com o apoio da Caixa Econômica Federal, a Associação conquistou mais este grande feito para a cidade. Para este grande projeto, dividido inicialmente em módulos e fases, foi realizada a primeira unidade contendo o laboratório de restauro, sala de procedimentos técnicos, ateliê de encadernação e reserva técnica temporária para papéis, totalizando 513m2 de área construída.
  • Mostra de Cinema da Cultura Caipira (2008), debate realizado no Centro Cultural São Paulo. A Mostra se propôs a revelar parte das riquezas da cultura caipira, através da produção audiovisual, música com apresentação do cantor e compositor Renato Teixeira, e quatro debates, sendo dois realizados em São Paulo e os demais em Brasília. Foto: Sossô Parma
  • I Mostra Paulista de Dramaturgia Nordestina (2008), espetáculo Sinhá Flor. Foto: Sossô Parma A Mostra teve o propósito de contribuir com a rica dramaturgia e as técnicas de encenação correntes no nordeste ao público e aos criadores cênicos paulistas, ou que vivem em São Paulo. Foram realizadas palestras, que propiciaram diálogo com os poetas, o acesso a obras dramáticas por meio da encenação, da leitura ou da publicação, e os contatos com grupos nordestinos em workshops, oferecendo ao animador cultural, ao praticante de teatro e aos estudiosos paulistas da cultura dramática novas perspectivas sobre a dramaturgia e a encenação no Nordeste.
  • Missão de Pesquisas Folclóricas – Cadernetas de Campo (2010-2011), página das cadernetas de campo utilizadas pelos pesquisadores da Missão de Pesquisas Folclóricas em 1938. Foto: João Mussolin Com patrocínio da Caixa Econômica Federal, o projeto constituiu-se no desenvolvimento de DVD-rom contendo 21 cadernetas de campo com anotações primárias da Missão de Pesquisas Folclóricas, realizada em 1938 por meio do Departamento de Cultura de São Paulo. Tratou também da digitalização do conjunto de fotografias e do Catálogo Histórico-Fonográfico da Missão de Pesquisas Folclóricas. O DVD-rom comporta ainda as transcrições das cadernetas de campo, feitas por José Saia Neto e diário, elaborado pela pesquisadora e musicóloga Flávia Camargo Toni.
  • Centro Cultural, Seu Próprio - CC,SP (2013), ação realizada mediante Edital de Projetos de Mediação em Arte do CCSP, convocatória pública para que artistas inscrevam projetos de mediação cultural cuja potência artística seja o eixo norteador. Foto: Sossô Parma Com o apoio do Instituto Brasileiro de Museus e em parceria com a Divisão de Ação Cultural e Educativa do CCSP, foram produzidas pesquisas que sistematizaram as experiências do projeto Centro Cultural, Seu Próprio em consonância com outro projeto desenvolvido pela divisão: O Edital de Projetos de Mediação em Arte do CCSP. Essas pesquisas resultaram na publicação #SOU PÚBLICO – Ações Educativas para a convivência no espaço público.
  • Glauco Velásquez, 4 Trios (2013), gravação realizada no Theatro Municipal de São Paulo, em maio de 2012, pelo grupo de música de câmara Aulustrio, formado pelos irmãos Fabio, Mauro e Paulo Brucoli. Foto: João Mussolin O projeto, realizado em parceria com a Discoteca Oneyda Alvarenga e com patrocínio da Petrobras, lançou em DVD o primeiro registro audiovisual da obra integral escrita para trios (violino, violoncelo e piano) de um dos mais importantes compositores do período romântico brasileiro, Glauco Velásquez (1884-1914). Possui ainda um documentário A humanidade poderosa e irresistível da música de Glauco Velásquez dirigido pelo cineasta Carlos de Moura Ribeiro Mendes, com depoimentos de maestros, musicólogos e estudiosos que comentam a vida e a obra do compositor.
  • Camargo Guarnieri – 03 Concertos para Violino e a Missão de Pesquisas Folclóricas (2008-2009), ensaio no Theatro Municipal de São Paulo, com Maestro Lutero Rodrigues, Luis Filipe e OSM. Foto: Carlos Rennó O projeto, com patrocínio da Petrobras, destaca a importância do compositor Camargo Guarnieri (1907-1993) para a música clássica brasileira e retrata seu envolvimento com as propostas do Departamento de Cultura, criado por Mário de Andrade. O DVD traz a gravação de Três concertos para violino e orquestra e o documentário Notas soltas sobre um homem só, sobre a vida do músico.
  • Paradas Sonoras (2009), estações de pesquisa disponibilizadas na Discoteca Oneyda Alvarenga. Foto: Sossô Parma Paradas Sonoras criou um novo circuito de audição para o acervo da Discoteca que se estendeu para além dos limites da instituição, além de um laboratório de digitalização de fonogramas. Foram pensados quatro formatos de mobiliário e equipamento para esses pontos de audição.
  • Anilla Cultural (2010), lançamento internacional com a participação de cinco instituições da América Latina. Foto: Carlos Rennó A Anilla Cultural Latinoamérica-Europa é uma rede de cocriação, colaboração e participação que enlaça América Latina e Europa no campo da ação cultural contemporânea a partir do uso intensivo das Tecnologias da Informação e Comunicação e Internet de segunda geração. É uma iniciativa da Agência Espanhola de Cooperação Internacional para o Desenvolvimento (AECID), do Centro de Cultura Contemporânea de Barcelona (CCCB) e da Fundação i2Cat.
  • Restauro dos Painéis e Mural do IV Centenário (2017/2018), restauro do mural “Missa de 25 de janeiro (conversão de São Paulo) 1554”, de autoria de Manuel Lapa no edifício da OCA. Foto: Sossô Parma Com patrocínio do Bank of America Merrill Lynch Banco Múltiplo S.A, o projeto visa à restauração e preservação de um dos conjuntos de obras mais importantes para a Cidade de São Paulo: os painéis e o mural do IV Centenário. O IV Centenário da Cidade de São Paulo foi um evento que comemorou os 400 anos de fundação da cidade de São Paulo nos dias 9, 10 e 11 de julho do ano de 1954. Esse conjunto de obras, que foi encomendado especialmente para a ocasião, foi exposto na mostra inaugural do Pavilhão de Exposições – hoje conhecido como OCA – do Parque Ibirapuera, um dos mais importantes para a cidade. Com previsão de término até o final do ano, estão sendo restauradas obras de Tarsila do Amaral, Manuel Lapa e Clovis Graciano, além do mural descoberto há três anos, atrás de uma parede falsa na OCA.
  • Seminário Internacional: Onde estão as mulheres arquitetas? (2017), workshop realizado com grupos de 50 estudantes de oito Faculdades de Arquitetura de São Paulo, São Carlos, Campinas, Rio de Janeiro e Brasília, visando o desenvolvimento de um exercício de projeto cujo eixo central era uma intervenção de caráter urbano no espaço do Sub Solo do Centro Cultural São Paulo. Foto: Luis Bueno O Seminário foi realizado com a presença de profissionais de destaque para debater e refletir sobre a presença e relevância da mulher no ensino e na prática no campo da Arquitetura e Urbanismo. Realizado em parceria com o escritório Base Urbana e Parceria de Fomento firmado com o Conselho de Arquitetura e Urbanismo de São Paulo - CAU/SP.
  • Desarquivos: O Mergulho na Memória (2016), preservação e digitalização dos filmes através do processo frame by frame (quadro a quadro) na íntegra e sem cortes ou edição de imagens. Foto: 8.Com Comunicação. Foram digitalizados 143 filmes em 16mm e 26 Super 8, contendo raridades como o registro do “copião” do espetáculo O Rei da Vela (1967) do diretor Zé Celso Martinez. Premiado no Concurso de Apoio a Projetos de Preservação de Acervos Museológicos no Estado de São Paulo do Programa de Ação Cultural da Secretaria de Estado da Cultura, o projeto visava a preservação e difusão de registros únicos em película que documentam o cenário cultural da cidade de São Paulo entre as décadas de 70 a 90 do século XX, e que pertencem ao patrimônio fílmico do Arquivo Multimeios do CCSP. Além da digitalização dos filmes, foi realizada a publicação com pesquisa e curadoria de Didi Monteiro, disponível para download no site da associação.
  • Movimentos Sociais por seus Cartazes (2014), digitalização do cartaz III Congresso Federacion de Mujeres Cubanas, de Porto Carrero [1972], sob salvaguarda do Arquivo Multimeios CCSP. O prêmio Memórias Brasileiras – Instituto Brasileiro de Museus/IBRAM contemplou o projeto que teve como objetivo a restauração de 105 cartazes da Comissão de Justiça e Paz, Grupo Tortura Nunca Mais, Movimento Nacional de Defesa dos Direitos Humanos, Conselho Nacional dos Direitos da Mulher, Arquidiocese de São Paulo, Movimento Sindical de Trabalhadores Rurais, Aliança dos Povos da Floresta, Central Única dos Trabalhadores, Movimento Popular de Saúde, União Nacional dos Estudantes, Juventude Operária Católica, Campanha Nacional pela Reforma Agrária, Campanha Nacional de Solidariedade à Nicarágua, Campanha pela Paz, e demais temas como povos indígenas, moradia, constituição federal, fé e compromisso social, Prêmio Vladimir Herzog de Anistia e Direitos Humanos, além de uma série de cartazes, feitos por artistas gráficos, em comemoração ao bicentenário da Declaração dos Direitos do Homem e do Cidadão, atividade promovida pela Secretaria Municipal de Cultura de São Paulo, em 1989.
  • Imagens da Cena Paulista – Século XX (2013), esboço do prólogo da peça “Maria Petrowna”, cenário de Henrique Manzo, pertencente à coleção Aspectos da Cenografia e do Figurino do Teatro Paulista do Início do Século XX à Década de 1940, sob salvaguarda do Arquivo Multimeios CCSP. Premiado no Concurso de Apoio a Projetos de Preservação de Acervos Museológicos no Estado de São Paulo do Programa de Ação Cultural da Secretaria de Estado da Cultura, o projeto previa a higienização e pequenos reparos dos documentos - Aspectos da Cenografia e do Figurino do Teatro Paulista do início do Século XX à Década de 40 e Macunaíma 1978 e 1984 - perfazendo um total de 510 contatos fotográficos e negativos, 239 ampliações, 363 slides, 3 fitas cassetes e 01 fita rolo, 94 croquis, convites e 7 documentos textuais.





Vídeos

  • 20 anos de amizade projetos culturais 20 anos de amizade projetos culturais
  • 20 anos de amizade uma parceria sólida 20 anos de amizade uma parceria sólida





Imagens do debate

  • foto: João Silva
  • foto: João Silva
  • foto: João Silva
  • foto: João Silva
  • foto: João Silva
  • foto: João Silva
  • foto: João Silva
  • foto: João Silva
  • foto: João Silva
  • foto: João Silva
  • foto: João Silva
  • foto: João Silva





Imagens do concerto

  • foto: João Silva
  • foto: João Silva
  • foto: João Silva
  • foto: João Silva
  • foto: João Silva
  • foto: João Silva
  • foto: João Silva
  • foto: João Silva

 

 

 
Ficha Técnica:

20 Anos da Associação Amigos do Centro Cultural São Paulo | Coordenação Priscilla Matos e Kelly Santiago Produção Teca Spera Comunicação Álvaro Olyntho Edição Emi Sakai Revisão Paulo Vinício de Brito Projeto Gráfico Beatriz Vecchia Arte do logo comemorativo Edimas Silva

Catálogo 20 anos de amizade | Coordenação Priscilla Matos Comunicação Álvaro Olyntho Edição Ronaldo Bressane Organização e Seleção de Imagens Sossô ParmaProjeto Gráfico Beatriz Vecchia Arte do logo comemorativo Edimas Silva

Exposição 20 Projetos em 20 Anos | Coordenação Priscilla Matos Curadoria Maria Adelaide Pontes e Marisa Bueno Produção Teca Spera Comunicação Álvaro OlynthoSupervisão de Ação Cultural Adriane Bertini e equipe Monitoria Claudia Silva Projeto Gráfico Yeda Gonçalves Edição de Imagens Sossô Parma Organização do Acervo | Núcleo Memória Liliane Lehmann, Luciana Fonseca, Victor Matheus Fernandes de Santana, Rafael Vitor Barbosa Sousa, Algenor Palmorino Monaco Jr, Antonio Santos da Silva Neto e Nilza da Silva Mantovani

 

logo aaccsp
3271-7329
aaccsp@aaccsp.org.br
facebook